segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Segurelha - Savory - Satureja hortensis

A Segurelha, Satureja hortensis - também chamda de segurelha-das-hortas ou segurelha-dos-jardins é uma planta anual que atinge normalmente de 10 a 40 cm de altura, com pequenas flores violetas ou branco-rosadas. É a segurelha mais apreciada, visto que tem um sabor mais delicado, sendo considerada ideal para todo tipo de receita.

Clima

Prefere climas amenos a subtropicais, ja que cresce melhor com temperaturas na faixa de 7°C a 26°C.

Luminosidade

Estas plantas necessitam de alta luminosidade e devem receber luz solar direta ao menos por 5 horas diariamente.

Solo

O solo deve ser bem drenado, leve e moderadamente fértil, embora possam crescer mesmo em solos pobres. Estas plantas crescem melhor com um pH do solo na faixa de 6,7 a 7,3.

Irrigação

Irrigue com frequência para que o solo seja mantido levemente úmido quando as plantas são jovens. Quando estão bem desenvolvidas, pode-se deixar o solo secar superficialmente entre uma rega e outra, desde que a temperatura não esteja muito alta.
Folhas e flores da segurelha-das-hortas ou segurelha-dos-jardins
As flores da segurelha-das-hortas podem ser violetas ou branco rosadas 

Plantio

A segurelha-das-hortas é normalmente propagada a partir de sementes.
As sementes podem ser semeadas diretamente no local definitivo da horta, ou em sementeiras, pequenos vasos ou copinhos feitos de papel jornal, fazendo o transplante das mudas em 4 a 7 semanas após a germinação. As sementes são pequenas e devem ser semeadas na superfície do solo, podendo ser cobertas com uma leve camada de terra peneirada ou de serragem fina. A germinação das sementes geralmente leva de uma a três semanas, mas pode ser demorada e levar mais tempo.


O espaçamento pode ser de 30 cm entre as plantas. A segurelha pode ser cultivada facilmente em jardineiras e vasos.

Tratos culturais

Retire plantas invasoras que estejam concorrendo por nutrientes e recursos.
A segurelha-da-montanha é uma planta perene, mas as plantas devem ser divididas e replantadas a cada 3 ou 4 anos.

Colheita

A colheita das folhas pode começar quando a planta estiver bem desenvolvida (com aproximadamente dois meses). A segurelha pode ser utilizada fresca ou seca. Colha folhas ou ramos frescos quando necessário. Colha os ramos para secagem quando a planta estiver começando a florescer, pois é neste momento que suas folhas apresentam o maior teor de óleos essenciais.
  Fonte: Hortas.info

domingo, 30 de setembro de 2018

CHAYA - Espinafre de Árvore - Cnidoscolus aconitifolius


Planta originaria de América Central onde erá já usada pelos astecas faz milhares de anos. É uma planta tão domesticada que NÃO PRODUZ SEMENTES, se reproduz unicamente por estacas.

Em compensação é uma das plantas de cultivo mais fácil, só colocar a estaca na terra (qualquer tipo de terra) na sombra*, e molhar e em muito pouco tempo já terá folhas para cozinhar.

O crescimento inicial é lento, mas depois é assombroso, podende chgar a 3 metros em 1 ano!

* O período de enraizamento e sem dol direto, mas o cultivo é a pleno sol! Mova a planta para o lugar definitivo, ou retire a proteção, assim que as novas folhas comecem a nascer. 

Se recomenda o consumo das folhas mais novas, por serem mais tenras. A planta pode ser completamente desfolhadas cada 2-3 meses!

Uma vez estabelecida, tolera bem a seca.

Na cozinha é usada normalmente cozida ou refogada como a couve, mas pode entrar em qualquer receita que use espinafre, pães, molhos, sopas, massas, omelete, arroz, farofa, etc

COMPRE ESTACAS DE VARIEDADE SUPERIOR DE CHAYA EM NOSSO WEB SITE, CLICANDO AQUI 


CONSUMO, CUIDADO MUITO IMPORTANTE

As folhas não podem ser consomidas cruas, devem ser cozidas por vários minutos e a água do cozimente deve  ser descartada, já que tanto as folhas cruas como essa água são tóxicas.  Tambem é importante não cozinhar a chaya em panelas de aluminio, já que os componentes quimicos da planta e do aluminio, não combinam e podem deixar a comida tóxica.



CUITÉ - CABAÇA DE ÁRVORE - Crescentia cujete

GERMINAÇÃO

Plante em vermiculita ou areia lavada, apenas cobrindo as sementes,  molhe em abundancia sem deixar secar. Tenha paciencia, a germinação pode se iniciar recém com 25 a 45 dias!

A temperatura ideal de germinação é de 20 a 30 graus.


As mudas se desenvolvem melhor se cultivadas em ambiente sombreado e atingem 35 cm com 7 a 8 meses após a germinação, tempo em que já podem ser plantadas no lugar definitivo.

CULTIVO

Pode ser plantada a pleno sol ou na composição de bosques em praças ou jardins. Espaçamento mínimo 5 x 5 m. Abra covas com dimensões de 40 cm de largura, altura e profundidade, misturando a terra da superfície com 500 g de calcário, 1 kg de cinzas e 8 kg de matéria orgânica bem curtida, deixando curtir por 2 meses. A melhor época de plantio é de setembro a outubro. Depois de plantada, irrigar a cada quinze dias nos primeiros 3 meses, depois somente se faltar chuva por mais de 1 mês. Se ocorrer geada na região convém proteger a planta nos primeiros 2 anos de plantio.

CLIMA

Planta tropical que pode tolerar 1 a 2 geadas leves por ano uma vez estabelecida.

PODAS

Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco, caso deseje que a arvore cresça ou caso prefira que produza uma copa esparramada deixe que a planta cresça livremente. 

ADUBAÇÃO

Adubar com composto orgânico, pode ser 6 a 8 pás de matéria orgânica + 40 gr de N-P-K 10-10-10, distribuindo os nutrientes à 20 cm do tronco; dobrando essa quantia a cada ano até o 3ª ano.

TEMOS SEMENTES FRESCAS A VENDA EM NOSSO WEBSITE 

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

PINHA - FRUTA DO CONDE - Annona squamosa


Para germinar recomendamos usar o MÉTODO DO FILTRO DE CAFÉ

• O solo para o cultivo da fruta-do-conde deve ser de textura leve, bem drenado, farto em matéria orgânica, profundo e um pouco ácido. No mínimo 30 dias antes do plantio, abra covas de 60 x 60 x 60 centímetros, com espaçamentos que podem variar de 4 x 2 metros (pomares com alto grau de tecnificação) a 7 x 5 metros (plantios menos tecnificados). Adube com 20 litros de esterco de curral curtido, 600 gramas de superfosfato triplo, 200 gramas de cloreto de potássio e 200 gramas de calcário dolomítico. Acrescente ainda dez gramas de bórax e 20 gramas de sulfato de zinco, caso esses micronutrientes sejam insuficientes no solo.

• O desenvolvimento da planta vai bem sob temperaturas elevadas (mínimo de dez a 20 graus e máxima de 22 a 28 graus), com precipitação perto de mil milímetros ao ano. Para garantir a produção, evite regiões com excesso de chuvas no período de florescimento e maturação dos frutos. Também geadas e grandes oscilações do clima são prejudiciais à cultura. A árvore é alvo de invasores como brocas, ácaros e cochonilhas.


Plantio: o ano todo, dependendo da possibilidade de irrigação e da região; prefira os meses chuvosos
 

Solo: adapta-se a vários tipos, mas se dá bem nos de textura leve, bem drenados, arejados, profundos, ricos em matéria orgânica e ligeiramente ácidos
 

Clima: quente; não tolera geadas nem temperaturas baixas
 

Uso culinário: consumo in natura, cremes, mousses e refrescos
 

Uso medicinal: rica em vitamina C e do complexo B, proteínas, carboidratos, cálcio, fósforo e ferro; na medicina popular, as folhas são usadas para o tratamento de convulsões e colites, e os frutos, para debilidade geral
 

Colheita: duração de 90 a 180 dias, de acordo com a região e condições climáticas

Trialis - Resedá Amarelo - Galphimia brasiliensis

      Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Cercas Vivas, Flores Perenes
    Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical
    Origem: América do Sul, Brasil
    Altura: 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros, 1.8 a 2.4 metros
    Luminosidade: Sol Pleno
    Ciclo de Vida: Perene


Arbusto rústico, o triális ainda é bastante florífero. Conhecido também como resedá-amarelo, embora não seja da mesma família da Lagerstroemia indica, o resedá que conhecemos. O triális apresenta folhagem bonita, que não é compacta e nem muito aberta. Floresce em todas as estações, sendo uma planta bastante interessante em jardins de baixa manutenção e com flores o ano todo. Sua flores são pequenas, amarelas e delicadas reunidas em inflorescências terminais. 


Devem ser cultivadas sob sol pleno em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica, regada a intervalos regulares. Presta-se para utilização como planta isolada, em grupos, renques e composições com outras plantas. Não é tolerante à geadas. Multiplica-se por sementes.


Não existe informação sobre a germinação desta espécie, pelo que recomendamos hidratar as sementes, deixando em molho por 24 em ácido giberellico, ou simplesmente água antes de semear. Enterrar a 1/2 cm, molhar e manter umido até a germinação.


quarta-feira, 29 de agosto de 2018

TREPADEIRA TROMBETA - Campsis radicans

Esta trepadeira não é uma planta de clima tropical, pelo que necesita de uma estratificação de 2 meses antes de germinar. O que é isto? Colocar as sementes na geladeira, para simular o inverno de sua região de origem.

Depois disto use o: 

MÉTODO DO FILTRO DE CAFÉ 

para germinar as sementes.

CRAVO CHABAUD E OUTRAS VARIEDADES - Dianthus caryophyllus


SOLO:
quente e sem excesso de umidade
 

CLIMA: subtropical a temperado
 

ÁREA MÍNIMA: vasos e jardins
 

FLORAÇÃO: a partir de 30 a 40 dias após o transplante
 

PROPAGAÇÃO: A semeadura é a forma de propagação realizada mais comumente no Brasil, ela deve ser feita de maio a julho. Porém, em regiões quentes, o mais indicado é iniciar o cultivo nos meses de outono. Cubra as sementes com uma fina camada de terra e mantenha-a úmida até a germinação, que ocorre de sete a 14 dias depois. A temperatura ideal para o período de germinação é de 15 a 20 graus célsius (ºC).

TRANSPLANTE Faça a mudança para o local definitivo quando as plântulas (plantas recém-germinadas obtidas por micropropagação) tiverem formado uma boa quantidade de raízes e possuírem de duas a três folhas, características que garantem o pegamento. Solo bem drenado e neutro é o mais recomendado para o plantio do craveiro. Deve ainda ser fértil e composto de terra de jardim e terra vegetal. Utilize espaçamento de 40 por 40 centímetros entre plantas e entre linhas. Faça regas regulares para assegurar um bom desenvolvimento da planta.
 

AMBIENTE Exigente em luminosidade, o craveiro deve ser plantado em local ensolarado. Também é importante que o ambiente seja ventilado, pois o cravo é sensível à falta de arejamento. A planta se adapta bem em regiões com clima entre subtropical e temperado.
 

TRATOS A adubação é feita somente quando necessária ou no período da floração. Evite o uso de fertilizantes à base de amônia. Podas podem ser realizadas com o corte das flores secas, a fim de prolongar a floração. Para as cultivares mais altas, use tutoramento, para evitar o acamamento (apodrecimento da plântula na região do colo provocado pelo ataque de fungos e solo) e prolongar o florescimento.
 

FLORAÇÃO A partir de 30 a 40 dias do transplante, o craveiro já pode florescer. Nas espécies perenes, o florescimento é contínuo.

fONTE: gLOBO rURAL