quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Azorina–Azorina vidalii

Ficheiro:Fajã das Almas, Azorina vidalii, Manadas, Velas, Ilha de São Jorge, Açores.JPG

Azorina vidalii (H.C.Watson) Feer, anteriormente conhecida como Campanula vidalli, é a única espécie do género Azorina, endémico dos Açores. Trata-se de uma planta pertencente à família das Campanulaceae, localmente chamada por Vidália. Pode atingir cerca de 1 metro de altura e produz flores em forma de sinos de cor rosa-esbranquiçada.

Vive normalmente em reentrâncias rochosas de falésias costeiras podendo aparecer em telhados de casas em telha. A existência de algumas comunidades de exemplares a altitudes mais elevadas, leva a supor uma distribuição mais ampla desta espécie, actualmente ameaçada pelo avanço de flora exótica e pela destruição humana de habitat.

O seu nome foi atribuído pelo botânico Hewett Cottrell Watson em honra do capitão Alexander Thomas Emeric Vidal, responsável pelo levantamento hidrográfico das ilhas entre 1841 e 1845.

GERMINAÇÃO

As sementes de Azorina vidalii  normalmente germinam  em 14-28 dias (2 a 4 semanas
MUITO IMPORTANTE:  Só vão germinar com luz , tem que ser semeadas  na superfície (NÃO ENTERRAR!) .,.coloque as sementes no substrato ou terra já bem alisada, e úmida e aperte bem  para fixar as sementes no lugar. Temperatura ideal de germinação 15 a 20 °C.

Se  fizer muito frio se uma tampa translúcida para permitir luz e para manter o composto úmido e quente (não coloque a sementeira na luz solar direta)

CULTIVO

Cultivo a pleno sol, (não pode crescer na sombra), solos arenosos e médios, prefere solos bem drenados. Aceita todo tipo de pH do solo. Prefere solo seco ou apenas úmido como na sua região de origem.

CURIOSIDADE

Suas folhas são comestíveis, cruas, tem um excelente sabor doce, as folhas podem ser usadas como alface em saladas, embora a planta não é muito produtivo.  É importante colher apenas algumas folhas do lado, já que se a parte central e cortada a planta pode morrer!

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Fruta de Sabiá–Acnistus arborescens


Arbusto ou arvoreta que pode ser cultivada praticamente em todos os climas e solos brasileiros. Pode ser cultivada em vasos. Resistente a seca e até geadas leves.
Gosta de solos úmidos e profundos e pode ser cultivada na beira de córregos e rios..
Pode ser plantada tanto a pleno sol como na meia sombra. Não é exigente em ateria de solos nem de irrigação, mas irrigando e adubando produzirá frutas o ano inteiro.
As sementes são pequenas, cobrir apenas com substrato ou terra muito fina, e molhe diariamente até a brotação, depois irrigue 1 ou 2 vezes por semana. No pomar a planta adulta não precisa ser irrigada após estabelecida!

Sendo uma árvore não totalmente domesticada, a germinação pode demorar um pouco ou ser muito irregular

COMPRE SEMENTES FRESCAR AQUI 


Boldo da Bahia–Vernonia condensata

 

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f7/Boldo_baiano.jpg

O boldo-baiano, assa-peixe ou alumã (Vernonia condensata) é uma planta da família Asteraceae, das mais cultivadas em jardins e hortas brasileiros. A sua origem é africana, tendo sido trazido com os escravizados desde a época colonial.

É considerado como folha sagrada, abô, associado aos orixás ogum e oxala, nas "sobrevivências" da cultura africana no Brasil que constituem a etnomedicina e candomblés jêje-nagôs com o nome de Alumã, Àlùmón, Éwúró, nos rituais de iniciação, àgbó, banhos de purificação e sacudimentos. 1 2 3

As suas folhas são utilizadas pela medicina popular sob a forma de chás ou sucos, no tratamento da azia, da indisposição gástrica, no controle da gastrite, contra a ressaca e como um tônico amargo, estimulante da digestão e do apetite.

Pode produzir irritação da mucosa do estômago, se utilizado em doses elevadas.

A planta tem varios nomes nos diferentes estados do Brasil:

    Pernambuco: Aluman, Boldo Chinês, Boldo Japonês
    Bahia: Aloma, Alumã, Luman (diferenciar sinonímia de nome popular da Labiatae C. barbatus também conhecida como tapete de oxalá e boldo...paulista, brasileiro, japonês.
    Ceará: Alcachofra
    S. Paulo: Boldo Bahiano, Árvore do Pinguço
    Minas Gerais: Boldo Goiano

CULTIVO

A germinação não apresenta dificuldades, mas é irregular, cobrir apenas as sementes com substrato ou terra orgânica e leve, molhar e manter úmido, não olhado até a germinação.

Planta perene e tropical, adapta-se às regiões subtropicais não sujeitas a geadas intensas. Desenvolve se a sol pleno. Baixa exigência em irrigação. Tolera cultivo de sequeiro, mesmo em regiões com irregular distribuição de chuvas.

Requer solos bem drenados, profundos e com fertilidade de baixa para média, desde que se efetue adubação orgânica após a colheita de folhas.

O espaçamento deve ser de 02 X 02 metros (conforme o sistema de condução ou poda).